Em Goiás, área plantada de mandioca deve registrar crescimento de 15% em 2021

Macaxeira, aipim, maniva, maniveira, pão-de-pobre, castelinha e uaipi. A mandioca tem muitos nomes Brasil afora, e em Goiás ocupa um lugar especial na culinária, na cultura e — cada vez mais — na economia. A cadeia da mandioca no Estado deve fechar 2021 com crescimento de 15% em área plantada (12 mil hectares), 10,9% em volume produzido (187,1 mil toneladas) e 19,7% em Valor Bruto de Produção (VBP), na comparação com 2020. Estas e outras estimativas fazem parte da edição de dezembro do Agro em Dados, publicação da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa).

“O boletim Agro em Dados nos permite fazer um acompanhamento regular e detalhado da produção agropecuária goiana, balizando políticas públicas e investimentos privados. O crescimento da produção de mandioca, que conseguimos quantificar nesta edição da publicação, teve a contribuição do Programa de Cerveja de Mandioca que lançamos em 2020, em parceria com grandes cervejarias”, avalia o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça.

De janeiro a outubro de 2021, mais de 1,9 mil toneladas de mandioca foram adquiridas em Goiás e destinadas à produção de cerveja. Noventa e cinco produtores de 23 municípios goianos estão cadastrados no programa. Os maiores fornecedores estão localizados em Bela Vista de Goiás, Itaberaí, Ipameri, Flores de Goiás e Posse. “O Programa da Cerveja de Mandioca, desenvolvido pelo Governo de Goiás, por meio da Seapa, Secretaria da Retomada e Emater, acabou se tornando um exemplo de parceria entre poder público e iniciativa privada. Já está rendendo frutos, e os maiores beneficiados são pequenos agricultores”, acrescenta Mendonça.

O Agro em Dados traz informações atualizadas sobre produção e comercialização de quatro segmentos da pecuária (bovinos, suínos, frangos e lácteos) e três da agricultura (soja, milho e mandioca), assim como um capítulo especial sobre o trabalho das Centrais de Abastecimento de Goiás (Ceasa-GO). O boletim pode ser acessado na íntegra no site da Seapa: www.agricultura.go.gov.br.

Outros segmentos
Em sua edição de dezembro, o Agro em Dados mostra que a bovinocultura de corte deve crescer 14,1% em Valor Bruto de Produção (VBP) em 2021, quando comparada com 2020. A perspectiva para o VBP da produção de frangos também é de alta em relação ao ano passado: 28,0%. Já o VBP da bovinocultura de leite deve registrar aumento de 1,2% e o da suinocultura, retração de 3,2%.

Na agricultura, o maior salto proporcional está previsto para a produção de milho. Em relação à safra 2020/2021, o volume total produzido no ciclo 2021/2022 deve saltar 51,8%. Apesar do aumento no volume, o VBP da produção de milho deve registrar queda de 3,7%. As estimativas para a soja são de crescimento tanto em volume de produção (2,9%) quanto em VBP (21,9%) na safra em andamento.

Saiba mais
O Agro em Dados é produzido pelo Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa). O levantamento e a edição das informações estão sob a responsabilidade da Gerência de Inteligência de Mercado da Superintendência de Produção Rural Sustentável. As fontes são: Emater, Instituto para o Fortalecimento da Agropecuária de Goiás (Ifag), Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Conab, Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e Ministério da Economia. A periodicidade é mensal.

Para mais detalhes, acesse a íntegra da edição de dezembro/2021 aqui

Comunicação Setorial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa)

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.